/Liberdade de imprensa e democracia pautam debate da primeira noite

Liberdade de imprensa e democracia pautam debate da primeira noite

Por Ana Flávia Lapa – 04/11/2019

A primeira noite de eventos da Semana Anhembi de Comunicação e Imagem, carinhosamente apelidada de SACI, iniciou em grande estilo com a palestra “Liberdade de Imprensa e Democracia”, no campus Vila Olímpia. Os jornalistas Cristina Zahar (Abraji), Eduardo Nunomura (Carta Capital) e Ângela Pimenta (Projor) colocaram em pauta a participação da imprensa na política e como essa proximidade leva aos ataques que a mídia jornalística vem sofrendo atualmente.

A secretária executiva da Abraji, Cristina Zahar, abriu a palestra com uma apresentação sobre os projetos e formas de atuação da organização, cujo objetivo geral é melhorar o nível de jornalismo no País. Para isso, o grupo se dedica a proteger os direitos da profissão e combater a desinformação – que, conforme explicou a convidada, não deve ser chamada de fake news, termo que se banalizou. “Todos nós, jornalistas, estamos sujeitos a erros. Uma coisa é publicar uma notícia errada, outra é divulgar uma informação com o claro intuito de desinformar”, explicou.

“Deslegitimar o trabalho da imprensa é a primeira coisa que os políticos fazem”, afirma Cristina Zahar. Foto: Letícia Ribeiro.

“O movimento [de ódio à mídia jornalística] infelizmente está se espraiando”, afirmou Cristina ao apontar a principal ameaça a jornalistas e seus veículos. “Deslegitimar o trabalho da imprensa é a primeira coisa que os políticos fazem (…) porque não querem que joguem luz no que eles estão fazendo”. Na fala, a secretária executiva se referiu à estratégia usada para invalidar informações jornalísticas e dificultar o acesso da sociedade à informação. 

Ângela Pimenta, diretora de operações do projeto Credibilidade, complementou a declaração da colega: “a verdade dos fatos é o chão da realidade em que vivemos”. Para ela, sem o trabalho dos jornalistas, “as pessoas ficarão cegas e incapazes de tomar decisões”.

Apresentando referências a filmes como Spotlight, Todos os Homens do Presidente e Hannah Arendt –  filósofa judía que sobreviveu à Segunda Guerra Mundial – Ângela reafirmou a necessidade de que a sociedade tenha acesso à verdade factual para que uma real democracia se instale: “Em uma democracia todo mundo tem uma opinião, mas o fato precisa ser comum para todos”. 

Eduardo Nunomura, editor de cultura da revista Carta Capital, foi o último a palestrar. Ele abriu seu discurso com uma fala de Emílio Odebrecht: “O que me entristece é que a imprensa toda sabia o que acontecia. Por que agora estão fazendo tudo isso?”. Na opinião de Nunomura, a própria mídia ajudou a construir a cultura de ódio ao jornalismo. “Precisamos discutir as informações que temos entregado como jornalistas. Se não assumirmos nossa culpa, não entenderemos e não conseguiremos combater o que está acontecendo”, ponderou.

Para Nunomura, a própria mídia ajudou a construir a cultura de ódio ao jornalismo. Foto: Ana Lúcia Tsutsui.

Após rodada de debate entre os convidados e presentes, Cristina sintetizou: “O combate à desinformação é como uma faxina: você limpa tudo e alguns dias depois a poeira volta”. Para Ângela, “o jornalismo existe e resiste”, e não deve se deixar abater pelo atual cenário brasileiro.

******

A SACI – Semana Anhembi de Comunicação e Imagem é uma iniciativa dos cursos de Jornalismo, Produção Editorial e Relações Públicas com o intuito de aproximar os alunos dos profissionais e temas mais importantes de cada área. A primeira edição do evento ocorreu entre os dias 4 e 8 de novembro nos campi Mooca, Paulista I e Vila Olímpia.