Vista assim de perto, a taça "arrepia"

Vista assim de perto, a taça “arrepia”

Por César CatelaniCaio Cappato

É sempre assim. Em tempos de Copa do Mundo, muita gente se esquece, pelo menos por um momento, dos problemas do dia-a-dia, para poder torcer, gritar e comemorar por uma só camisa: a da sua seleção.

Pois esse era o clima no bairro de Itaquera, na zona leste de São Paulo, quando a taça da Copa do Mundo FIFA 2014 foi exibida para o público, entre os dias 29 de maio e 1° de junho, o que atraiu a atenção de milhares de espectadores. A capital paulista foi a última etapa de uma “turnê” da taça que passou por 89 países e diversas capitais brasileiras.
Pesando cerca de 6 quilos e com quase 37 centímetros de altura, o objeto de desejo das 32 seleções participantes deste mundial foi exibido em uma espécie de caixa protetora. Após assistirem a vídeos promocionais do evento, torcedores puderam, então, tirar fotos ao lado da taça. E como era difícil ficar “indiferente”.
“Olhar essa taça de perto superou as minhas expectativas. É uma sensação única”, relatou o aposentado Domingos Monteiro, de 68 anos. “Acompanho a Copa do Mundo desde 1958 e estou muito confiante neste ano”, completou o aposentado.
Um dos torcedores ilustres que compareceram à área VIP do evento foi o jornalista da TV Globo Chico Pinheiro, de 60 anos. Ao lado da preciosa peça, Chico recordou alguns momentos marcantes da principal competição de futebol do mundo.
“A Copa do Mundo mais marcante para mim foi a de 1970. Além de um bom time, conquistamos o título. Tivemos outras boas seleções, como a de 1982, mas essa não venceu”, relembrou o jornalista que afirmou ser a primeira vez que via a taça da Copa do Mundo assim de perto. Chico ainda elogiou a organização do evento.
Além da taça, durante a exposição foi possível também ver de perto as bolas de quase todas as Copas do Mundo. E houve ainda shows diversificados durante o evento em um palco montado ao lado do shopping do bairro.

Torcedores também assistiram a shows ao lado da exposição da taça

Torcedores também assistiram a shows ao lado da exposição da taça